As Almas Gêmeas Escritores e Poetas - Filme Biográficos de Alma Gêmeas - Parte I



                           Elizabeth 💖 Robert

As almas gêmeas desafiam seus pais, para poderem compartilhar o seu amor. Apos o casamento, Elizabeth foi deserdada pelo pai e rejeitada por seus irmãos. Assim começou um dos mais famosos casamentos literários da história.

  1. A Família Barret  (1934) é um filme americano que descreve o romance entre os poetas Elizabeth e Robert. O filme foi indicado para o Oscar de Melhor Filme e Norma Shearer foi nomeada para o Oscar de Melhor Atriz. 
A Família Barret (1957) estrelou Jennifer Jones e Bill Travers.


Elizabeth Barrett Browning ( 6 de março, 1806 - 29 junho de 1861) foi uma das mais proeminentes poetas ingleses da era vitoriana. A sua poesia era extensamente popular na Inglaterra e nos Estados Unidos durante sua vida. A mais velha dos 12 filhos, Elizabeth foi educada em casa. Ela escreveu poesia a partir dos seis anos de idade e este foi compilado por sua mãe,  o que é hoje uma das maiores coleções juvenil existentes  por qualquer escritor Inglês. Aos 15 anos ela ficou doente, sofrendo dores intensa na coluna para o resto de sua vida, tornando-a frágil.  A Sua primeira coleção adulta, O Seraphim e outros poemas, foi publicada em 1838. Durante esse tempo, ela contraiu uma doença, possivelmente, a tuberculose, o que a enfraqueceu ainda mais. Ela escreveu prolificamente entre 1841 e 1844. Ela fez campanha para a abolição da escravatura e seu trabalho ajudou a influenciar na reforma da legislação do trabalho infantil. Poemas de volume de Elizabeth (1844) se tornou grande sucesso. 



Robert  Browning (07 de maio de 1812 - 12 de dezembro de 1889) foi um poeta e dramaturgo Inglês cujo domínio do monólogo dramático, fez dele um dos principais poetas Vitorianos. os seus poemas são conhecidos por sua ironia, caracterização, humor escuro, comentário social, cenários históricos, e vocabulário e sintaxe desafiadora. O poema longo Pauline trouxe-o à atenção de Dante Gabriel Rossetti, e foi seguido por Paracelso, e foi elogiado por  Dickens, mas em 1840 a difícil Sordello, que era visto como deliberadamente obscura, trouxe descrédito a sua poesia.  Levou mais de uma década para a sua  reputação se recuperar, durante o qual ele se afastou das formas de seu período inicial e desenvolveu um estilo mais pessoal. O namoro e casamento entre os dois foram realizados em segredo, por medo da desaprovação do pai de Elizabeth.
Na sequência do casamento, ela foi deserdada pelo pai e rejeitada por seus irmãos.
 na época era consideravelmente mais conhecida do que ele mesmo. Assim começou um dos mais famosos casamentos literárias da história.
O casal se mudou para a Itália em 1846, onde ela iria viver para o resto de sua vida. Eles tiveram um filho, Robert Barrett Browning, a quem chamavam Pen.
                                                          Elizabeth e seu filho Pen
 Uma coleção de seus últimos poemas foi publicado por seu marido pouco depois de sua morte. Elizabeth foi educada em uma família fortemente religiosa, e muito do seu trabalho carrega um tema cristão. Seu trabalho teve uma grande influência sobre escritores proeminentes do dia, incluindo os poetas americanos Edgar Allan Poe e Emily Dickinson. Ela é lembrada por tais poemas como "Como eu amo Thee?" (Soneto 43, 1845) e Aurora Leigh (1856).
  1. Ele havia publicado a coleção: Os Homens e Mulheres. A coleção Dramatis Persona e o livro do poema épico O Anel, que o tornou um poeta britânico líder. Quando ele morreu em 1889, ele foi considerado como um sábio e filósofo poeta que através de sua poesia tinha feito contribuições para o discurso político e social Vitoriano - como no poema Caliban upon Setebos, que alguns críticos viram como um comentário sobre a teoria recente da evolução. As sociedades para o estudo de sua obra foram fundadas, enquanto ele ainda estava vivo. Tais sociedades permaneceram comum na Grã-Bretanha e os Estados Unidos até o início do século 20.
                                      Iris 💕 John

Iris (2001) foi protagonizado por Kate Winslet e Judi Dench, baseado nos livros de John Bailey em memória a sua falecida mulher. Elegy para Iris (1999), Iris e Seus Amigos e Casa de Viúvo
John Bayley (1925 –2015) was a British literary critic and writer. He was Warton Professor of English at the University of Oxford from 1974 to 1992
Em 1956 ele se casou com Iris Murdoch (1919-1999) e iriam viver juntos ate sua morte. Iris  foi uma escritora e filósofa irlandesa. Ela foi membro activo do Partido Comunista até se distanciar da ideologia; trabalhou na U.N.N.R.A. e deu aulas no Royal College of Art. A partir de 1963 dedicou-se 
à escrita, tendo produzido 26 romances em 40 anos. Ela começou a sofrer de Alzheimer. 

                                         Jean-Paul Satre 💝💝💝 Simone de Beauvoir


Os Amantes do Café Flore Diretor: Ilan Duran Cohen
Simone de Beauvoir e Jean-Paul Sartre -  Apaixonados, livre pensadores existencialistas-filósofos e escritores - eles tiveram uma união comprometida, mas notoriamente aberta.
O impacto de seus escritos sobre o pensamento moderno não podem ser subestimados. Os dois são lembrados pelas vidas que levaram. Eles foram brilhantes, corajosos indivíduos profundamente inovadoras, com paixão, energia, ousadia, humor, e as contradições de seu notável relacionamento, pouco ortodoxo. Uma grande história - e uma grande história é precisamente o que Simone e Sartre mais queriam que suas vidas representassem.
Jean-Paul Sartre (1905 —1980) foi um filósofo, escritor e crítico francês, conhecido como representante do existencialismo. Acreditava que os intelectuais têm de desempenhar um papel ativo na sociedade. Era um artista militante, e apoiou causas políticas de esquerda com a sua vida e a sua obra. Ele repeliu as distinções e as funções problemáticas e, por estes motivos, se recusou a receber o Nobel de Literatura de 1964.
Simone  de Beauvoir ( 1908 —1986), foi uma escritora, intelectual, filosofa existencialista, ativista política, feminista e teórica social francesa. Embora não se considerasse uma filosofa, Simone teve uma influência significativa tanto no existencialismo feminista quanto na teoria feminista.


Jose 💘💘 Liz


Comer Rezar e Amar
Liz  (Julia Roberts) tinha Tudo o que uma mulher moderna sonha em ter - um Marido, uma casa, uma carreira bem-sucedida. Ainda sim, ela esta perdida, confusa e em busca fazer o que ela realmente deseja na vida. Recentemente divorciada e num momento decisivo, 
Liz sai da zona de conforto, arriscando tudo, embarcando em uma jornada por Três Países que se transforma em uma busca por autoconhecimento. Na Itália, ela Encontra o Verdadeiro prazer da gastronomia. Na Índia, explora a sua espiritualidade com o Poder da Oração. Em Bali, encontra a sua  paz e interior, e inesperadamente, o equilíbrio de hum verdadeiro amor.
Elizabeth M. Gilbert (18/07/1969) E uma biógrafa, ensaísta, contista, memorialista e romancista norte-americana. As Memórias dela escritas em 2006, "Comer Rezar e Amar" em julho de 2010 estava há 180 Semanas  na Lista dos Mais Vendidos do Nova York Times e deu origem ao filme.
   Ela se casou em 2007 com o brasileiro Jose Nunes.

  1.  Jose 💓 Pilar


  2. José e Pilar (2010) é um documentário de Miguel Gonçalves Mendes, acompanha durante dois anos a vida de José Saramago (1922-2010) e Pilar del Río (1950).
  3. José Saramago  foi um escritor português, que recebeu o Nobel de Literatura de 1998. E em 1995, o Prêmio Camões. O seu livro Ensaio sobre a Cegueira foi adaptado para o cinema, dirigido por Fernando Meirelles. Um conto foi adaptado ao filme Embargo, por Antonio Ferreira. Jose era ateísta e iberismo, foi membro do Partido Comunista Português e foi diretor-adjunto do Diário de Notícias. 
  4.  Pilar del Río é uma jornalista, escritora e tradutora espanhola. A filha mais velha de um total de quinze irmãos. Em 1986, Maria  conheceu o José Saramago, após ter lido todos os seus livros publicados em espanhol e ter pedido para o conhecer pessoalmente. Em 1988, casaram. Ela foi a tradutora para a língua espanhola de vários romances de José Saramago. A 29 de Junho de 2007 eles constituem a Fundação José Saramago para a defesa e difusão da Declaração Universal dos Direitos Humanos e dos problemas do meio ambiente. Em 2012 a Fundação José Saramago abre as suas portas ao público na Casa dos Bicos em Lisboa, presidida pela sua mulher Pilar del Río.
    Eles Contam a História da humanidade juntos

    Jack 💘💘 Louise 



    Jack Reed  nasceu John Silas Reed (22 de outubro de 1887 - 17 de outubro de 1920) o jornalista e escritor que narrou a Revolução Russa. 

    Reds (1981)  co-escrito, produzido e dirigido por Warren Beatty, que faz o papel principal. E ganhou  o Oscar de Melhor Diretor.  O filme centra-se na vida e carreira de três escritores.  O filme também apresenta, como "testemunhas", entrevistas com  educador e ativista da paz de 98 anos Scott Nearing (1883-1983), autora Dorothy Frooks (1896-1997), jornalista e autor George Seldes (1890-1995), o defensor da liberdades civis Roger Baldwin (1884-1981), e o escritor Henry Miller (1891-1980), entre outros. 
    Em 1910, john entrou na Harvard. Depois viajou para Londres, Paris e Madrid. Mais tarde, regressou ao seu país, onde trabalhou como editor numa revista sobre política.
    Em Massachusetts, durante uma manifestação dos operários de uma fiação apoiada pelo Partido Socialista, conheceu Bill Haywood. Bill revelou-lhe que 25 mil operários de uma fábrica na outra margem do rio Hudson, que manifestavam exigindo oito horas de trabalho diário, estavam sendo maltratados pela polícia. Ele juntou-se aos manifestantes, sendo preso durante quatro dias, tendo escrito mais tarde no jornal The Masses sobre estes eventos.
                        Pancho Villa na esquerda atras e John Reen de frente para ele
    Em 1914, no México, Pancho Villa liderava uma rebelião de camponeses quando John foi enviado como correspondente. Em pouco tempo, tornou-se próximo do líder revolucionário. 
    Ao ele voltar para os Estados Unidos, no Colorado se deu o Massacre de Ludlow, onde mineiros em greve foram abatidos pela Guarda Nacional a mando da família Rockefeller. Esses acontecimentos foram registados no livro: A Guerra do Colorado.
    Ele voltou para casa para ver sua mãe. Lá,  ele escutou um discurso de Emma Goldman, que era uma fonte de inspiração daquela geração do feminismo.
     Ele viajou para Inglaterra, para os Países Baixos e Alemanha. Na França, andando pelos campos de batalha: chuva, lama, cadáveres. Ele se deprimiu com o patriotismo exacerbado de ambos os lados.
     Em 1915, John foi para a Rússia, para as vilas queimadas e saqueadas, para o massacre dos judeus pelos soldados do tsar, para Bucareste, Constantinopla, Sofia, depois Sérvia e Grécia. De volta aos EUA, escutou os incessantes discursos sobre os preparativos militares contra "o inimigo," e escreveu para o The Masses que o inimigo para o trabalhador estadunidense eram os 2% da população que recebiam 60% da riqueza nacional. "Nós defendemos que o trabalhador prepare-se para se defender do inimigo. Esse é o nosso preparativo."
    Em 1916, John Reed conheceu Louise Bryant e eles apaixonaram-se imediatamente. Ela se separou de seu marido e foi morar com ele em Nova Iorque. 
    Quando Emma Goldman e Alexander Berkman foram capturados pelo Draft Act por "conspiração e indução de pessoas a não se registrarem" John Reed foi uma testemunha de defesa. Eles foram condenados e presos. Isso aconteceu a milhares de outros estadunidenses que se opuseram à guerra. Os jornais radicais foram banidos, entre eles o The Masses.
    Em 1917, chegaram da Rússia notícias de que o Czar fora deposto, e que uma revolução estava em marcha. Com Louise Bryant, ele partiu para a Finlândia e Petrogrado. A revolução avançava à sua volta, com operários a tomarem o poder nas fábricas, soldados recusando-se a combater e manifestando-se contra a guerra, e o soviete de Petrogrado a eleger uma maioria bolchevique. Por fim, houve a rápida tomada das estações ferroviárias, telégrafo, telefone e correios, e a concentração de trabalhadores e soldados junto ao Palácio de Inverno.
    Correndo de cena a cena, John Reed tomou notas com uma velocidade incrível, reuniu cada folheto, poster e proclamação.
     Em 1918, ele voltou aos EUA para escrever sua história. Ao chegar, suas anotações foram confiscadas. Ele se encontrou sob acusação, juntamente com outros editores do The Masses, por se opor à guerra. Mas, no julgamento, onde ele e Eastman testemunharam sobre suas crenças, o júri não pode chegar a uma decisão e as acusações foram retiradas.
    Agora, ele ia a todos os lugares do país, lecionando sobre a guerra, e a Revolução Russa. Em Indiana, ele conheceu Eugene Debs, que seria logo sentenciado a 10 anos por pregação contra a guerra. Em Chicago, ele acompanhou o julgamento de Bill Haywood e de outras centenas de líderes do, que pegariam longas sentenças na prisão. Naquele setembro, depois de ter falado a uma platéia de quatro mil pessoas, ele foi preso por desencorajamento ao recrutamento nas forças armadas.
    Finalmente, ele pegou de volta suas anotações sobre a Rússia e em dois meses escreveu Os Dez Dias que Abalaram o Mundo. Esse tornou-se o relatório clássico de testemunha ocular da Revolução Bolchevique: 
    Em 1919, a guerra acabou, mas as forças Aliadas tinham invadido a Rússia e a histeria continuou nos EUA. O país que tinha feito a gloriosa "revolução" mundial, agora estava com medo dela. Os não-cidadãos foram encurralados aos milhares, presos e deportados sem julgamento. Houve greves por todo o país e choques com a polícia. John Reed se envolveu na formação do Partido Comunista dos Trabalhadores, foi à Rússia como um delegado aos encontros da International Comunista. Lá, ele conversou com os burocratas do partido, questionando o que estava acontecendo com a revolução. Ele encontrou Emma Goldman em Moscou e a escutou desabafar sua desilusão.
    Ele correu de reunião a reunião, de uma conferência em Moscou a uma reunião em massa de asiáticos no Mar Negro. Ele estava se desgastando; ficou doente, febril e delirante. Era tifo. Em 1920, ele morreu em um hospital de Moscou.
    O corpo de John Reed foi sepultado perto do Kremlin na Praça Vermelha, com honras de herói, sendo o único americano a quem tal honra foi concedida.


    Louise Bryant nasceu Anna Louise Mohan (05 de dezembro de 1885 - 06 de janeiro de 1936)  escreveu sobre líderes russos. As suas histórias de notícias, durante e depois de suas viagens a Petrogrado e Moscou, apareceu em jornais de todo os EUA e Canadá nos anos após a Primeira Guerra Mundial I. 
    Em 1918,  uma coleção de artigos de sua primeira viagem foi publicado em livro: Seis Meses Vermelhos na Rússia. 
    Em 1919, ela defendeu a revolução em depoimento perante uma subcomissão do Senado criada para investigar a influência bolchevique nos Estados Unidos. Ela realizou uma turnê de palestras em todo o país para incentivar o apoio público dos bolcheviques e desencorajar a intervenção armada dos EUA na Rússia. E ela foi presa e passou três dias na, por participar da passeata pelo direito de voto das mulheres.cadeia. 
     Louise obteve a aprovação de Lenin para uma viagem para os países do Sul de fronteira e vizinhos russos. Ela foi de trem ao longo do Kazakh Steppe, através de áreas duramente atingidas pela fome, a Tashkent e Bukhara e às fronteiras do Irã e da Afeganistão, entrevistar e tomar notas. 
    Em 1921 ela voltou para os EUA, e permaneceu por cerca de um ano. Em agosto, o New York American,  começou a publicar uma série de 16 de seus artigos que descrevem a fome na Rússia, a nova economia política de Lenin , o fim da guerra civil russa.
    Ela continuou a escrever sobre a Rússia,  a Turquia, Hungria, Grécia, Itália e outros países da Europa e do Oriente Médio. Alguns desses artigos foram publicados na forma de livro: Espelhos de Moscou. As viagens de Louise na Europa neste momento incluía Moscou, Berlim, Londres, Paris e outras cidades. da-obra retorcida.
     Em 1923. ela se mudou para Paris e se casou-se com William Christian Bullitt, Jr., com quem teve sua única filha, Anne, nascida em 1924.  E em 1925 ela e William adotaram um menino de 8 anos de idade,  a quem tinha conhecido na Turquia.  Como a esposa de um homem rico, ela teve tarefas relacionadas com o funcionamento de uma família de classe alta: "... a gestão de servidores, a ordenação de alimentos e planejamento de cardápios, decoração da casa, arranjo de flor, mantendo um calendário social. "  que ela considerava " inútil ",
    Embora Louise continuou a escrever, pouco do seu trabalho foi publicado.
    Em 1925  o seu artigo  "Um Divórcio Turco", sobre o tratamento de mulheres de Atatürk, apareceu em The Nation
    Em 1926, Louise, que geralmente se absteve de álcool mais cedo na vida, estava sofrendo de  dolorosa e incurável (doença de Dercum) e tinha começado a beber muito.  Em 1930, william, citando seu alcoolismo e alegando que ela tinha um relacionamento lésbico com Gwen Le Gallienne, se divorciou e ganhou a custódia de Anne.
    Apos sua morte seus documentos pessoais foram transferidos para William, onde permaneceram até sua filha, Anne, doar a coleção à Universidade de Yale em 2004. 




     Joy 💞💞 Lewis
    Nunca é tarde para se encontrar com a Alma Gêmea. Lewis casou com a sua aos 58 anos de idade.

    Terra das Sombras - Shadowlands (1993) é um filme britânico dirigido por Richard Attenborough e baseado na peça teatral de William Nicholson sobre a relação de amor entre C. S. Lewis e  Joy. 



    Joy Davidman nascida Helen Joy Davidman ( 18 de abril de 1915 - 13 de julho de 1960) foi uma poeta e escritora. 
    Joy nasceu em uma família de classe média judia em Nova York. E cresceu com seu irmão mais novo, Howard. Joy foi uma criança prodígio, que marcou acima de 150 em testes de QI,  com capacidade crítica, analítica e musicais excepcionais. Ela leu de H. G. Wells O Contorno da História com a idade de oito anos e foi capaz tocar Chopin no piano, depois de ter lido uma vez e não olhar para ele novamente. 
    Aos dezenove anos, ela recebeu um mestrado em literatura  Inglesa na Universidade de Columbia em três semestres, ao mesmo tempo, que ensinava para uma escola de segundo grau.  Em 1936, depois de vários dos seus poemas terem sidos  publicados em poesia, o editor pediu-lhe para trabalhar para a revista como leitor e editor. Joy renunciou ao seu cargo de professor para trabalhar em tempo integral na escrita e edição. 
    Durante a Grande Depressão, vários incidentes, incluindo a assistir o suicídio de um órfão com fome pulando de um telhado no Hunter College, diz-se que a levou a questionar a imparcialidade do capitalismo e do sistema econômico americano. Ela ingressou no Partido Comunista americano em 1938. 
    Neste mesmo ano, a sua coleção de poemas, Carta a um camarada,  ganhou a competição de Yale de jovens poetas. em 1938.
     Em 1939, ela ganhou o Prêmio Russell Loines para a poesia para este mesmo livro de poemas. 
    Ela foi contratada para uma estadia de seis meses em scripts de escrita de cinema de Hollywood. Ela escreveu pelo menos quatro, mas eles não foram usados e ela voltou para Nova York para trabalhar, onde escreveu uma coluna, revendo os filmes de Hollywood de uma forma descrita como "implacável em suas críticas." 
    Em 1940 seu primeiro romance aclamado, Anya foi publicado. 
     Entre 1941 e 1943, ela foi crítica literária e editora de poesia.
    Em 1942 ela se casou com seu primeiro marido e pai de seus dois filhos, o autor William Lindsay Gresham, depois de se familiarizar com ele através de seu mútuo interesse no comunismo. Eles tiveram dois filhos,  Bill Gresham tornou-se desiludido com o Partido Comunista, enquanto o voluntariado na Espanha durante a Guerra Civil Espanhola para combater o fascismo  e influenciou Joy a deixar o partido após o nascimento de seus filhos. Durante o casamento, William escreveu sua obra mais famosa pesadelo Alley em 1946, enquanto Joy fez trabalhos freelance cuidando da casa e dos filhos. 
    Quando William recebeu uma grande soma para os direitos do filme para Alley pesadelo, a família se mudou para uma mansão antiga com área plantada no campo Nova York, onde Joy começou a escrever seu segundo romance, Weeping Bay e Gresham também começou seu segundo romance, Limbo Torre . 
    Em 1948, eles se tornaram membros da Igreja Presbiteriana Pleasant Plains. William tinha parado de beber durante este tempo, mas sua conversão ao cristianismo foi de curta duração; ele continuou a ter casos extraconjugais e desenvolveu um interesse em Dianética, cartas de tarô e do I Ching. O casal se afastou, embora eles continuaram a viver juntos.
    Em 1950, Joy começou uma correspondência com C. S. Lewis. Eles encontraram pela primeira vez em 1952, quando ela fez uma viagem ao Reino Unido Ela planejava terminar seu livro sobre os Dez Mandamentos que ela estava trabalhando, e que mostrou influências de estilo da apologética de Lewis.
    C.S. Lewis (1898-1963) era novelista, poeta que nasceu na Irlanda mas que se mudou para Inglaterra, se tornando professor da Universidade de Oxford, entre outros escritos esta : As Crônicas de Narnia. C.S. Lewis à primeira vista a viu como uma companheira intelectual agradável e amiga pessoal. .Ela voltou para casa em janeiro de 1953, tendo recebido uma carta de Gresham que ele e sua prima estavam tendo um caso e ele queria o divórcio. 
    Em 1954 ela publicou seu trabalho mais conhecido, Smoke on the Mountain: Uma Interpretação dos Dez Mandamentos com prefácio de C. S. Lewis, publicado em 1955 na Inglaterra. Ele vendeu 3.000 exemplares, o dobro de vendas nos Estados Unidos.
    Joy voltou para a Inglaterra, com seus filhos,  mas ela logo entrou em dificuldades financeiras quando William parou o envio de dinheiro para o apoio. Lewis pagou as taxas da escola e encontrou  uma casa para ela em Oxford.  Lewis inicialmente considerou-a apenas como uma companheira intelectual agradável e amigo pessoal. 
    Em 23 de Abril de 1956, eles se casaram  para que ela pudesse continuar a viver no Reino Unido- "Ela era minha filha e minha mãe, meu aluno e meu professor, meu tema e minha soberana; e sempre, minha companheira fiel, amiga, camarada, companheira de lutas. Minha amante; mas ao mesmo tempo tudo o que qualquer amigo do homem (e eu tenho bons) sempre foi para mim. Talvez mais." C. S. Lewis 
    Ela serviu de inspiração para Orual, o personagem central de Till We Have Faces (1956). Outras obras que influenciaram ou ajudaram incluem Reflexões sobre os Salmos (1958) e Os Quatro Amores (1960).  
    Em 1956, visto de visitante de Joy não foi renovado, sendo exigido que ela e seus filhos voltassem para a América. Lewis concordou em firmar um contrato de casamento civil com ela para que ela pudesse continuar a viver no Reino Unido, dizer um amigo que "o casamento é uma questão pura de amizade e conveniência." O casamento civil ocorreu em 23 de Abril de 1956. 
    O casal continuou a viver separadamente após o casamento civil. O irmão de Lewis escreveu: "Para Jack a atração foi em primeiro lugar, sem dúvida intelectual. Joy era a única mulher que ele havia conhecido ... que tinha um cérebro que combinava com seu próprio na flexibilidade, na largura de interesse, e na compreensão analítica e, sobretudo, no humor e senso de diversão. "
    Em outubro de 1956, Joy estava atravessando sua cozinha quando ela tropeçou no fio de telefone e caiu no chão, quebrando assim a perna superior esquerdo. Ela foi diagnosticada com câncer incurável, com metástases ósseas de carcinoma de mama. Foi neste momento que Lewis reconheceu que ele a amava, percebendo o quão desesperado ele se sentiria perdê-la. Ele escreveu a um amigo: ".. Nova beleza e nova tragédia já entrou em minha vida Você ficaria surpreso (? Ou talvez você não) para saber quanto de uma espécie estranha de felicidade e até mesmo alegria que existe entre nós" Joy sofreu várias operações e tratamento de radiação para o câncer. Em março de 1957, Warren Lewis escreveu em seu diário: ".. Um dos dias mais dolorosos da minha vida Sentença de morte foi transmitida Joy, e no final é apenas uma questão de tempo"
    A relação entre Joy e C. S. Lewis tinha desenvolvido a tal ponto que eles procuraram um casamento cristão. Isso não era simples na Igreja da Inglaterra na época, porque ela era divorciada, mas um amigo e pastor anglicano,  realizou a cerimônia na cama  21 de Março de 1957. 
       
    O câncer de Joy logo entrou em remissão, e que o casal viveu junto como uma família até 1960, quando a recorrência do câncer causou a sua morte. No início desse ano, o casal teve uma breve férias na Grécia e no Egeu. 

    Lewis escreveu: Anatomia de uma Dor. O livro descreve sua experiência de luto de uma forma tão crua e pessoal que ele originalmente lançou o livro sob o pseudônimo de NW Clerk, para os leitores não associarem o livro com ele. Ironicamente, muitos amigos recomendou o livro de Lewis para ele mesmo, como um método para lidar com sua própria dor. Após a morte de Lewis, sua autoria foi tornado público pela Faber, com a permissão dos executores.  Lewis continuou a criar os dois filhos, após a morte de sua amada. 

                                                    Kuki 💔💔 Paolo

    A Africa dos Meus Sonhos  é um filme baseado na autobiografia da ambientalista Kuki Gallman (nascida em 01 de junho de 1943)  e Paolo Gallmann (? -1980)

                                      Maitreyi Devi 💑 Mircea Eliade

    The Bengali Night (1988) é um filme semi-autobiográfico Allan (Hugh Grant) é um engenheiro que trabalha na década de 1930 em Calcutá. Ele é convidado a ficar com a família de seu chefe, Narendra Sen, que inclui sua esposa, Indira e sua filha Gayatri (Supriya Pathak). Gayatri e Allan se envolvem romanticamente levando à tragédia.
    O filme foi baseado no romance do Mircea Eliade de 1933, Bengal Nights, dirigido por Nicolas Klotz. É sobre amor entre Mircea (Hugh Grant), que visitava a Índia na época, e a poeta e romancista jovem Maitreyi Devi (1914-1990). Ela era a filha, do estudioso do sânscrito e filósofo Surendranath Dasgupta (1887 –1952) e protegida do poeta Rabindranath Tagore.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Finalmente Encontrei o Amor da Minha Vida

Amor Pra Vida

Almas Gêmeas na História