O Casamento Perfeito

David foi convidado por seu colega de firma, James, a ir a um bar brasileiro. Normalmente ele não aceita este tipo de convite, mas naquela sexta, ele resolveu dizer sim.

O bar oferece aulas de samba gratuitas para os clientes. James insiste para que eles participem da aula. Porém desta vez, David diz não e fica olhando o povo se divertir,  tomando a sua cerveja confortavelmente. Ele nota a beleza da professora sorridente,  que cativa os seus alunos e faz amigos facilmente.  Quando a aula termina James a convida para sentar em sua mesa, e a apresenta ao loiro alto Davis.


Soraia quer saber mais sobre o elegante e sério americano. Eles combinam se encontrar no parque da cidade. 

Soraia havia aprendido,  com o pai que para ter sucesso, era necessário branquear a família.

David havia aprendido com a  Mãe que havia sido abandonada pelo seu pai, que os parceiros não eram pessoas confiáveis.


 Em vez  de aceitarem que não eram,  um para o outro e terminar com o  relacionamento.

Eles tentam mudar um ao outro. Ela faz concessões, para receber a aliança.

Primeira concessão, parar de dançar, segunda concessão,, parar de ter "tantos" amigos homens

Se casam, e são só os dois, nada mais de balada com os amigos.


Ela engravida,  entre frustrações e desapontamentos, e na tentativa de tentar melhorar, eles criaram uma prisão uma prisão em nome da família.

A Soraia engordou com problemas na tireoide e perdeu o brilho. Ela começou a tomar hormônios de reposição. E recentemente descobriu que está com excesso de insulina no sangue, quase diabética.

 O David começou a ter escapadas da prisão para se relacionar com prostitutas.

As doenças de Soraia foram causadas, por ela se sentir humilhada, por pensar que ela nunca consegue o que deseja. Quando será que ela vai conseguir o que deseja? Ela não se permite mais, se expressar livremente com criatividade, deixando os velhos modelos de limitações de lado para viver no agora.



Ele está desnorteado e triste. Nos doze anos de casamento, ele sente que ela só o amou nos primeiros três anos. Eles brigam por nada. Ele não se sente valorizado. Ele pensa que seria preferível se eles tivessem se separado no início do relacionamento.

Em uma tentativa mais séria de voltarem a ter intimidade física e sentimental. Eles voltaram a transar mas de forma mecânica, sem energia recompensadora, sem graça.

Eles resolveram viajar a Paris, para comemorar os 12 anos de casados. Foi bom . Ficaram próximos, andaram por Paris de mãos dadas. O sexo só aconteceu no ultimo dia, da mesma forma sem vida. Todavia ela ficou grávida mais uma vez.


A Soraia mente para os outros e para ela. Provavelmente a grande mentira que ela acredita, é que ela não seja  digna de ser amada pelo o que ela realmente é. Somente se amando ela começará a se sentir mais feliz. Porque  mentalmente ela está começando a viver no passado, achando que no passado a vida dela era mais doce e feliz.

Eles têm alguns casais  amigos em comum, filmes, música, televisão e principalmente os problemas para resolver.

Ainda dormem na mesma cama. Mas é algo sem intimidade. Eles estão muito próximos e ao mesmo tempo bem distantes. O trabalho dela, de faxina, é bem cansativo e estressante.


Os dois se sentem perdedores no jogo do amor; com sentimentos de fracasso e ressentimentos e com corações fechados.

O problema do relacionamento começou primeiramente na ilusão mental. Eles estavam querendo o melhor, sem saber como ser melhores. O melhor sempre começa na mente.

Quando eles fluem juntos eles realmente fluem. Eles precisam entender que eles estão juntos neste barco.

Depois de um tempo juntos os casais esquecem de ver o lado predominante positivo da relação.

Eles estavam tentando achar o lugar deles, na combinação familiar.


O caminho da felicidade nesta relação, é responsabilidade de cada um.

A linda mulata pode começar a pensar que é realmente muito bom ter um bom marido e amigo.

O solitário advogado começa a mudar o pensamento de como é uma mulher perfeita.

Eles estão tentando mudar a situação externa e o outro, mas eles precisam mudar as crenças internas,  e não o outro.

Os dois precisam achar o próprio balanço. Agora eles precisam  querer ter  a capacidade única de extrair o melhor de cada um.

Eles não precisam de um parceiro perfeito. Porém eles precisam ser totalmente perfeitos para si mesmos. Somente assim eles serão capazes de construir um casamento perfeito.

   Eduardo e Mônica - Legião Urbana 



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Almas Gêmeas na História

Amor Pra Vida

Finalmente Encontrei o Amor da Minha Vida