A Bissexualidade e o Incesto Na Vida dos Escritores Henry Miller e Anaïs Nin




 Em  26 de dezembro de 1891, nasceu o escritor norte-americano Henry Miller. Henry passou sua infância no Brooklyn, Nova Iorque. Mais tarde em sua juventude, era ativo no Partido Socialista (seu ídolo era o socialista amoroso Hubert Harrison). Tentou vários tipos de serviços e, por curto período, frequentava aulas no City College of New York. 
Em 21 de Fevereiro de 1903, nasceu a autora francesa Anais Nin. A sua mãe, Rosa, era filha de diplomata e casa-se contra a vontade da sua família, com o compositor cubano Joaquín Ninpai de Anaïs, que logo se torna um famoso concertista e pianista. Na infância, Anaïs viveu em diferentes países da Europa acompanhando os concertos de seu pai. A sua casa era frequentada pela nata artística, e seus dias eram repletos de fantasia: teatro, dança, música, poesia, leituras.
Em 1914 o seu pai (após vários casos amorosos) abandona a família para viver com uma mulher bem mais jovem e riquíssima. Sua mãe então decide morar nos Estados Unidos, na intenção de dar uma educação mais ‘real’ para seus filhos, livre das ‘ilusões em que fora criada’ e embarca com Anaïs e seus dois irmãos mais novos em uma viagem de navio para os Estados Unidos, que dura um mês.
Nessa viagem Anaïs escreve uma carta ao seu pai, onde ela descreve tudo o que a cerca na intenção de atraí-lo de volta. Mas sua mãe, alegando que a carta se perderia, resolve não enviá-la. Anaïs continua escrevendo, agora somente para si, por seis décadas, compondo mais de 35 mil páginas, o que se tornaria seu famoso diário.
Em 1919 ela abandona os estudos e torna-se autodidata.
Em 1921 tornou-se modelo de artistas.
Em 1923 casa-se com Hugh Guiler, um alto funcionário do City Bank, e diretor, como diretor o seu nome artístico era Ian Hugo; e vão morar nos arredores de Paris... É lá que ela aprofunda suas leituras.
Em 1902 June Miller nasceu na Áustria como Juliette, filha de Wilhelm e Francês Budd Smerdt, uma família judia pobre.
 Em 1907 ela emigrou com seus pais e quatro irmãos para os Estados Unidos.
Em 1917 aos 15 anos, abandonou o ensino médio para se tornar dançarina na Academia de Dança de Wilson na Times Square e começou a trabalhar com o nome de June Mansfield, passando ocasionalmente por June Smith.
Em 1923, na Wilson aos 21 anos, ela conheceu Henry Miller aos 31. Ele deixou sua primeira esposa e filho.
Em 1º de junho de 1924, June e Henry se casam.
Em outubro de 1926, Jean Kronski, artista e poeta, foi morar com eles a pedido de June, que provavelmente era bissexual, cultivou um relacionamento muito próximo com Jean, preferindo frequentemente os afetos de Jean aos de Henry.
Em abril de 1927, Jean e June partiram para Paris juntos. No entanto, dois meses depois começaram a brigar, e June voltou a Henry em julho.
Em 1928-1929, June e Henry partiram para uma turnê pela Europa, estabelecendo-se em Paris por vários meses antes de voltarem a Nova York.
Em 1930 Henry se mudou sozinho para Paris, onde morou até a eclosão da Segunda Guerra Mundial.
O  marido de Anais, querendo fazê-la feliz e inseri-la no mundo literário, a apresenta ao Henry Miller.
Em 1931, Henry trabalhou na Chicago Tribune (edição parisiense) como revisor, graças a seu amigo Alfred Perlès que trabalhou lá. Enquanto visitava Henry, June conheceu a escritora Anaïs Nin, que rapidamente ficou obcecada por ela e, assim como Henry, a usou como arquétipo biográfico em muitos de seus escritos subseqüentes.
June e Nin se envolveram em um relacionamento paquerador, embora Nin negasse que fosse sexual. No entanto, June figuraria com destaque em seus diários publicados e não publicados.
Em 1932  Anais escreveu  um livro baseado no universo literário de D. H. Lawrence (autor então maldito por falar dos instintos e emoções femininas).

Henry & June  (1990) é um filme estadunidense dirigido por Philip Kaufman. É uma adaptação cinematográfica do livro: " Henry, June and Me" de Anaïs Nin.
O filme conta o início da relação de Henry com Anaïs Nin. Henry vai viver na França e é convidado pelo marido de Anaïs a visitá-los. Anaïs, à procura de algo de novo, mais espontâneo, apaixona-se pela vivacidade de Henry. Porém, Henry está apaixonado por June, interpretada por Uma Thurman. 
Anaïs, nutrindo admiração por Henry, começa a observá-lo, e apaixona-se pelo amor que ele tem por June. Essa paixão também a faz apaixonar-se por June. No meio desses sentimentos, inicia-se uma relação de Henry com Anaïs, transformando suas vidas, tanto de escritores como de amantes.


Henry Miller quebrava as formas literárias existentes, desenvolvendo um nova semi-autobiográfica novela que misturou estudos de caráter, social criticismo, filosofia refectiva, linguagem explícita, sexo livre, associação surrealista e misticismo. 
Em 1934 Henry Miller obteve a oportunidade de apresentar alguns dos seus artigos sob o nome de Alfred Perlès, desde que somente a equipe editorial era autorizada a publicar no jornal. Ele viveu em condições precárias, dependendo da benevolência de amigos, tais como Anaïs Nin, que financiou a primeira impressão do Trópico de Câncer. 
Em 1979 June morre. Embora June expressasse o desejo de escrever uma autobiografia, ela apenas escreveu cartas. No entanto, ela teve uma enorme influência literária sobre as obras de seu ex-marido Henry Miller e da Anaïs Nin.
Livros com June como personagem
Ficção:
Henry Miller,
Crazy Cock (originalmente intitulado Lovely Lesbians  (como Hildred). O relacionamento de June com Jean é a peça central dos romance. (1930, inédito até 12 anos após a morte de Miller)
Trópico de Câncer (como Mona)
Trópico de Capricórnio (como Mara)
A Crucificação Encarnada (Sexus, Plexus e Nexus - como Mara e Mona), tornou-se um clássico. Como nos outros livros, esses romances narram trechos de sua própria vida, embora ele negasse. Sobre seu processo, declarou: "fiz uso, ao longo desses livros, de irruptivos assaltos ao inconsciente, tais como sonhos, fantasia, burlesco, trocadilhos pantagruélicos, etc, que emprestam à narrativa um caráter caótico, excêntrico, perplexo".
Anaïs Nin,
Casa do Incesto (como Sabina)
Um Espião na Casa do Amor
Não-ficção
Anaïs Nin, O Diário de Anaïs Nin
Anaïs Nin, Henry e June,  A Journal of Love: O Diário Expurgado de Anaïs Nin, 1931–1932
Anaïs Nin, Incesto: O Diário Não Expurgado de Anais Nin, 1931–1932
June não ficou satisfeito com a publicação dos Diários expurgados de Nin, que omitiram o caso de Nin com Henry Miller e, portanto, omitiram o papel que Nin desempenhou no rompimento do casamento deles. O livro sofreu dificuldades de distribuição, sendo banido em alguns países sob a acusação de pornografia. Seus livros tem relatos detalhados de experiências sexuais e criaram a discussão livre de assuntos de cunho sexual, na literatura norte americana, partindo tanto de restrições legais e sociais.
June Espalhados em Fragmentos: Um Esboço Biográfico da Segunda Esposa de Henry Miller por Stephen Starck
Henry Miller: Os Anos de Paris por Brassaï.
O Homem mais Feliz do Mundo: Uma Biografia de Henry Miller por Mary V. Dearborn
Henry Miller: Colossus of One por Kenneth C. Dick
Henry Miller: Uma Vida por Robert Ferguson.
O Desconhecido Henry Miller: Um Buscador em Big Sur por Arthur Hoyle.
Renegade: Henry Miller e o making of Trópico de Câncer por Frederick Turner
Entre 1944 e 1962 Durante a Segunda Guerra Mundial; Henry muda para Califórnia, passando a ser um escritor prolífico.
Em 1967, Henry se casou com sua quinta esposa, a cantora japonesa Hoki Tokuda.
Em 1968, Miller assinou o compromisso "Protesto de imposto de escritores e editores de guerra", prometendo recusar pagamentos de impostos em protesto contra a Guerra do Vietnã.
 obteve grande sucesso após a liberação de suas obras na década de 60.
O governo Brasileiro proibiu a venda da tradução de Trópico de Câncer na década de 70, porém o livro permanecia sendo vendido no original em inglês.
Em 1976 Henry inicia uma correspondência de mais de 1.500 cartas com Brenda Venus, uma jovem modelo e colunista da Playboy. Um livro sobre a correspondência deles foi publicado em 1986.
Em 1977 Henry e Hoki se divorciaram.
Em 1980,  Warren Beatty o filmou para o filme de Reds. Ele falou de suas lembranças de John Reed e Louise Bryant como parte de uma série de "testemunhas". Ele morre em Junho.

Em 1981 O filme foi lançado dezoito meses após a morte de Miller. 
Em 1932 Nin se interessou profundamente pela psicanálise e a estudaria extensivamente, primeiro com René Allendy e depois com Otto Rank. Os dois homens acabaram se tornando seus amantes.
Em 1939, quando os residentes do exterior foram instados a deixar a França devido à guerra que se aproximava,  Anaïs Nin deixou Paris e retornou para  o apartamento do marido Hugh Guiler em Nova York , que já havia se mudado para lá. Ela começou a atuar como psicanalista, vendo pacientes no quarto ao lado do Hugh e fazendo sexo com seus pacientes no sofá psicanalítico.
Em 1946, ela participou do filme Ritual in Transfigured Time: Short film, dir. Maya Deren
Em 1947, aos 44 anos, ela conheceu o ex-ator Rupert Pole em um elevador de Manhattan no caminho dela para uma festa. Os dois acabaram namorando e viajaram juntos para a Califórnia; Rupert era dezesseis anos mais novo.
Em 1952, Anais participou do filme feito pelo seu marido Ian Hugo: Bells of Atlantis.

Em 1954  Anais Nin  participa do filme: The Inauguration of The Pleasure Done by Kenneth Anger

Em 17 de março de 1955, enquanto ainda estava casada com  Hugh Guiler, ela se casou com Rubert em  Arizona, retornando com ele para morar na Califórnia. Hugh Guiler permaneceu em Nova York.
Em 1966, Anaïs Nin teve seu casamento com Pole anulado, devido a questões legais decorrentes Guiler e Pole tentando reivindicá-la como dependente de suas declarações fiscais federais. Embora o casamento tenha sido anulado, Anaïs Nin e Pole continuaram a viver juntos como se fossem casados.
Anaïs montaria essas fachadas elaboradas em Los Angeles e Nova York, mas ficou tão complicado que ela teve que criar algo que chamou de caixa de mentiras. Ela tinha uma bolsa absolutamente enorme e na bolsa tinha dois conjuntos de talões de cheques. Um disse Anaïs Guiler para Nova York e outro disse Anaïs Pole para Los Angeles. Ela tinha frascos de remédios de médicos da Califórnia e de Nova York com os dois nomes diferentes. E ela tinha uma coleção de fichas. E ela disse: "Eu digo tantas mentiras que preciso anotá-las e mantê-las na caixa de mentiras para que eu possa mantê-las retas
Em 1974 Anais Nin Observed: Documentary, dir. Robert Snyder

Em 1977 Anaïs Nin morreu, Hugh não tinha conhecimento do segundo casamento até sua morte, embora o biógrafo Deirdre Bair alega que Hugh Guiler sabia o que estava acontecendo enquanto Nin estava na Califórnia, mas conscientemente "optou por não saber".
Antes de sua morte, Anaïs havia escrito para Hugh Guiler pedindo perdão. Ele respondeu escrevendo como sua vida tinha sido significativa por causa dela.
Em 1990 acabou sendo revelado, quando as versões não expurgadas dos diários de Anaïs Nin foram publicadas, Anaïs Nin afirma ter tido um relacionamento incestuoso com o próprio pai durante os 20 e poucos anos. Alega-se que essa relação incestuosa foi incentivada por um de seus terapeutas, que sugeriu que, em retaliação pelo abandono de seu pai durante a infância, Anaïs Nin deveria seduzir seu pai na idade adulta e depois abandoná-lo. Em teoria, isso deveria deixar Anaïs Nin se sentindo empoderada. Na época da publicação de "House of Incest", ocorrida na mesma época em que Anaïs Nin mantinha um relacionamento incestuoso com o pai, alguns membros da família Nin que conheciam o relacionamento incestuoso ficaram "horrorizados" ao saber que Anaïs Nin estava escrevendo um livro com esse título. Eles assumiram que o livro seria uma exposição sobre a relação incestuosa de pai / filha.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Finalmente Encontrei o Amor da Minha Vida

Amor Pra Vida

Almas Gêmeas na História